A MAGIA DAS  MÃOS

Quem poderia negar das mãos, o seu valor
Quem poderia negar que não recebe das mãos, o calor
Quem poderia dizer que não se percebe nas mãos, preocupação
Quem poderia dizer que não recebe das mãos, emoção.

Quem poderia negar a presença das mãos em um pedido
Quem poderia negar as mãos ao abraçar  o  ente querido
Quem poderia dizer que acolheu sem estender as mãos
Quem poderia dizer que não elevou as mãos ao fazer a oração.

Quem poderia negar a uma criança as suas mãos
Quem poderia negar as mãos na educação
Quem poderia dizer que as mãos não indicam o caminho
Quem poderia dizer que as mãos não estão no carinho.

Quem poderia negar as mãos na presença da partida
Quem poderia negar as mãos a uma pessoa sofrida
Quem poderia dizer que não é amiga a mão estendida
Quem poderia dizer que não é do trabalho a mão aguerrida.

Estas mãos, Senhor, que às vezes são até perversidade,
Mas  que têm  a magia que lhes destes da bondade,
Estas mãos Senhor, muitas vezes pela vida calejadas,
São as mãos do amor, do trabalho e da fé inabalada.

João Coutinho de Amorim.

Se você gostou desta página,
recomende-a para um amigo!

  RECOMENDE

Compartilhar
Página inicial | Menu poesias|comentários

SE COPIAR TEXTO, REPASSE COM OS DEVIDOS CRÉDITOS

Coutinho, poesias e sonho ®-Todos os direitos reservados.

Get a MIDI Plug-in  
Música: La Vie En Rose de Piaf e Louis Gugliemi