UMA SENTENÇA, UMA DOR...

 

 

“...Que vida horrível a tua, Genival,
Nasceste desamparado e sempre foi assim,
Primeiro, sem amor, sem saúde e sem comida,
Depois, sem educação, sem amigos e sem trabalho,
Finalmente, sozinho e com a morte,
Pagando pelo pecado de nascer,
Encaminhei-te para a liberdade e teu rumo foi o fim,
Vida sofrida, vida rápida, morte rápida,
Morte bárbara, que ninguém soube,
Apenas 18 anos, tanto sofrimento,
Que morte horrível a tua, Genival...

Poema inserto em sentença prolatada pelo Juiz da 2ª Vara
Criminal de Garanhuns Pierre Souto Maior Coutinho de Amorim.

Se você gostou desta página,
recomende-a para um amigo!

RECOMENDE

Página inicial | poesias e poemas | Comentários

SE COPIAR TEXTOS, REPASSE COM OS CRÉDITOS DEVIDOS

-Coutinho, poesias e sonho-®-Todos os direitos reservados.


Get a MIDI Plug-in '
Música: Dreamin - Schuman